O Programa mais Recente:

  • Conheça o trabalho desenvolvido pelo Núcleo de Práticas de Incentivo à Autocomposição do MPPR

    Conheça o trabalho desenvolvido pelo Núcleo de Práticas de Incentivo à Autocomposição do MPPR

    Entrevistado:

    Samia Saad Galotti Bonavides

    Data do Programa:

    Terça, 22 Janeiro 2019

    Tema:

    Trabalho desenvolvido pelo Núcleo de Práticas de Incentivo à Autocomposição do MPPR

    Nesta terça-feira (22), o Justiça para Todos conversou com a procuradora de justiça Samia Saad Galotti Bonavides sobre o trabalho desenvolvido pelo Núcleo de Práticas de Incentivo à Autocomposição do Ministério Público do Paraná. A convidada deu início a entrevista explicando o que são os métodos alternativos de resolução de conflitos, os principais objetivos da iniciativa do MPPR e como funcionará na prática o trabalho realizado pelo Núcleo. Além de falar sobre a importância da política de incentivo e aperfeiçoamento dos mecanismos de autocomposição, Samia apontou os benefícios que estas práticas trazem a sociedade. Com relação aos planos para o ano de 2019, a procuradora ressaltou: “Os planos são no sentido do Núcleo se consolidar e principalmente, conseguir estimular e atuar em composição na área dos direitos difusos e coletivos”.  Confira aqui a entrevista na íntegra. 

Saiba o que é a Alienação Parental

Sexta, 31 Agosto 2018

Saiba o que é a Alienação Parental

Tema:

Alienação parental

Entrevistado:

Priscilla Barbiero e Natália Bitencourt Gasparin

Alienação parental foi o tema do programa Justiça para Todos, desta terça- feira (31). As advogadas Priscilla Barbiero e Natália Bitencourt Gasparin, ambas integrantes da Comissão de Direito de Família da OAB-PR, trouxeram mais informações sobre o assunto aos ouvintes da rádio Educativa. O que é a alienação parental, as consequências negativas dessa prática e quais atitudes podem tornar o genitor um alienador foram questões esclarecidas pelas convidadas durante a entrevista. Além de apontarem as possíveis punições aos alienadores, as advogadas discorreram sobre as sequelas para a criança envolvida. Sobre a questão, Priscila ressaltou: “As sequelas podem ser terríveis. As crianças envolvidas nesse contexto apresentam diversos comportamentos e sentimentos que geram prejuízos ao decorrer do desenvolvimento de sua personalidade”. Durante a entrevista, Natália destacou ainda que a denúncia deve estar embasada em uma certeza: “Primeiro é importante que o genitor tenha certeza de que está a frente de um quadro de alienação parental e esse diagnóstico deve ser feito por um profissional especializado, que deve investigar a situação”. Confira aqui a entrevista na íntegra. 

bemapbjudibamb403069308 jusprevlogo