O Programa mais Recente:

  • Atuação do Gaeco na Tríplice Fronteira é tema de edição do Justiça Para Todos

    Atuação do Gaeco na Tríplice Fronteira é tema de edição do Justiça Para Todos

    Entrevistado:

    Tiago Lisboa Mendonça

    Data do Programa:

    Quinta, 08 Fevereiro 2018

    Tema:

    Atuação do Gaeco

    O Justiça Para Todos conversou, nesta quinta-feira (08), com o promotor Tiago Lisboa Mendonça, coordenador da unidade de Foz do Iguaçu do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Na oportunidade, ele explicou aos ouvintes sobre as competências e a atuação do órgão: “O trabalho desenvolvido pelo Gaeco é atuar em um nicho muito específico que é a área de combate à criminalidade organizada”.
    Durante a conversa, o promotor também comentou sobre o panorama atual da criminalidade nas áreas de fronteira, mais especificamente em Foz do Iguaçu. “É uma teia muito grande de crimes que se relacionam com essa posição geográfica, e isso demanda uma atuação bem específica do Gaeco”, observa. Tiago avaliou, ainda, os desafios no trabalho desenvolvido pelo órgão nessa região.
    Confira aqui a entrevista na íntegra.

Justiça Restaurativa nos casos de violência doméstica é tema do Justiça Para Todos

Quarta, 23 Agosto 2017

Justiça Restaurativa nos casos de violência doméstica é tema do Justiça Para Todos

Tema:

Semana Nacional Justiça Pela Paz em Casa

Entrevistado:

Mônica Fleith

O programa Justiça Para Todos conversou, nesta quarta-feira (23), com a juíza Mônica Fleith, que atua no Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de Maringá. Ela falou sobre a Semana Nacional Justiça Pela Paz em Casa e explicou, também, como a Justiça Restaurativa pode ser aplicada em casos de violência doméstica. “Nessa oitava edição [da Semana], penso que deva ser destacada a maior visibilidade e alcance da campanha, bem como a possibilidade dos magistrados se prepararem para as atividades com maior antecedência”, comenta.
Durante a entrevista, a magistrada esclareceu aos ouvintes no que consiste a Justiça Restaurativa: “É um processo pelo qual os próprios envolvidos – a vítima, o ofensor, a sociedade – tomam para si o poder de resolver, juntos, o conflito através do diálogo”, explica. A juíza também falou de que forma essa prática pode ser aplicada nos casos de violência doméstica e familiar, citando algumas de suas vantagens. “A Justiça Restaurativa não busca a reconciliação do casal, mas sim reequilibrar esta relação de poder para o empoderamento da mulher e responsabilização do ofensor”, afirma. Mônica comentou, ainda, sobre o trabalho realizado pelo Juizado de Violência Doméstica e Familiar de Maringá, e por fim deu orientações de como pode ser feita uma denúncia desse tipo de crime.
Confira aqui a entrevista na íntegra.

bemapbjudibamb403069308 jusprevlogo