O Programa mais Recente:

  • Erro médico é tema de edição do Justiça Para Todos

    Erro médico é tema de edição do Justiça Para Todos

    Entrevistado:

    David Castro Stacciarini

    Data do Programa:

    Quinta, 22 Fevereiro 2018

    Tema:

    Erro médico

    O Justiça Para Todos conversou, nesta quinta-feira (22), com o advogado David Castro Stacciarini, que trouxe aos ouvintes mais informações sobre erro médico. Primeiramente, ele explicou o significado desse conceito, citando também os tipos de erro médico mais comuns no país. “Um incidente, de acordo com a Organização Mundial de Saúde, é um evento ou circunstância que poderia ter resultado ou resultou em dano desnecessário ao paciente. Podemos dizer que ele é intencional ou não”, pontua.
    Na oportunidade, o advogado também esclareceu de que forma ocorre a investigação e julgamento dos casos de erro médico no país, especificando em que casos uma denúncia no CRM pode virar um processo disciplinar e quais as penas previstas para o profissional que é condenado. Por fim, David comentou sobre atitudes que podem prevenir a ocorrência de erros médicos.
    Confira aqui a entrevista na íntegra.

Justiça para Todos traz magistrada para fechar semana nacional da mulher e discutir sobre violência doméstica

Sexta, 10 Março 2017

Justiça para Todos traz magistrada para fechar semana nacional da mulher e discutir sobre violência doméstica

Tema:

Semana Nacional da Justiça pela Paz em casa

Entrevistado:

Márcia Margarete do Rocio Borges

 

Nesta sexta-feira (10), o programa Justiça para Todos fechou a comemoração da semana internacional da mulher falando com a juíza Márcia Margarete do Rocio Borges, do juizado de violência doméstica contra mulher de Curitiba, sobre a Semana Nacional da Justiça pela Paz em Casa e violência doméstica.

Além de explicar os principais objetivos da Semana, a magistrada comentou sobre a agilidade dos julgamentos de casos de violência contra a mulher graças a Campanha e, ainda, a importância de destacar o tema e levar mais informações à população. ‘‘É uma forma de encorajar a mulher que sofre com a violência doméstica e familiar para que ela cesse esse ciclo de violência’’.

Borges ainda falou sobre a lei Maria da Penha, o perfil das vítimas e dos agressores, além de comentar sobre a Casa da Mulher Brasileira. ‘‘A Casa da Mulher Brasileira foi criada agora, em 2016, em Curitiba. A ideia da Casa é centralizar o serviço, ou seja, colocar todos os serviços relacionados ao atendimento da mulher como a Delegacia de Polícia, a Defensoria Pública, o Judiciário, o Ministério Público, atendimento psicossocial e, também entre outros, a casa de passagem, no qual elas ficam acolhidas por um período se houver necessidade’’.

 

Confira a entrevista na íntegra com a juíza Márcia Margarete do Rocio Borges

bemapbjudibamb403069308 jusprevlogo