O Programa mais Recente:

  • Atuação do Gaeco na Tríplice Fronteira é tema de edição do Justiça Para Todos

    Atuação do Gaeco na Tríplice Fronteira é tema de edição do Justiça Para Todos

    Entrevistado:

    Tiago Lisboa Mendonça

    Data do Programa:

    Quinta, 08 Fevereiro 2018

    Tema:

    Atuação do Gaeco

    O Justiça Para Todos conversou, nesta quinta-feira (08), com o promotor Tiago Lisboa Mendonça, coordenador da unidade de Foz do Iguaçu do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Na oportunidade, ele explicou aos ouvintes sobre as competências e a atuação do órgão: “O trabalho desenvolvido pelo Gaeco é atuar em um nicho muito específico que é a área de combate à criminalidade organizada”.
    Durante a conversa, o promotor também comentou sobre o panorama atual da criminalidade nas áreas de fronteira, mais especificamente em Foz do Iguaçu. “É uma teia muito grande de crimes que se relacionam com essa posição geográfica, e isso demanda uma atuação bem específica do Gaeco”, observa. Tiago avaliou, ainda, os desafios no trabalho desenvolvido pelo órgão nessa região.
    Confira aqui a entrevista na íntegra.

Justiça Para Todos traz informações sobre políticas de enfrentamento às drogas

Quinta, 31 Agosto 2017

Justiça Para Todos traz informações sobre políticas de enfrentamento às drogas

Tema:

Enfrentamento às drogas

Entrevistado:

Cristina Corso Ruaro

Nesta quinta-feira (31), o Justiça Para Todos entrevistou a promotora de Justiça Cristina Corso Ruaro, que foi coordenadora do Comitê do Ministério Público do Paraná de Enfrentamento às Drogas. Na oportunidade, ela falou sobre políticas públicas de prevenção às drogas lícitas e ilícitas, fazendo um panorama da atual realidade do país envolvendo a dependência química. “É muito importante que falemos, em primeiro lugar, das drogas lícitas – que são o álcool e o cigarro –, porque, justamente pelo fato de serem lícitas, elas são incentivadas”, observa a promotora.
Cristina também falou sobre a atuação do Ministério Público no enfrentamento ao álcool e às demais drogas, comentando ainda sobre a importância das políticas públicas relacionadas ao tema – que devem abranger, inclusive, crianças e adolescentes. “A prevenção começa com as orientações na escola, a partir dos seis anos – que é a orientação da ONU. Mas, não só para os alunos, é importante que a escola também abra a capacitação aos professores, aos servidores e chame os pais. Toda essa comunidade escolar deve ser envolvida”, pontua.
Confira aqui a entrevista na íntegra.

bemapbjudibamb403069308 jusprevlogo