O Programa mais Recente:

  • Conheça o A.DOT, primeiro aplicativo de adoção do Brasil

    Conheça o A.DOT, primeiro aplicativo de adoção do Brasil

    Entrevistado:

    Sérgio Kreuz

    Data do Programa:

    Quinta, 19 Julho 2018

    Tema:

    Aplicativo para adoção

    O Justiça para Todos desta quinta- feira (19) conversou com o juiz Sérgio Kreuz sobre o A.DOT, primeiro aplicativo de adoção do Brasil, lançado no dia 25 de maio, em comemoração ao dia nacional da adoção. O magistrado iniciou a conversa explicando o motivo pelo qual houve a necessidade da criação do aplicativo, seu funcionamento na prática e o principal objetivo da ferramenta, que é dar visibilidade as adoções chamadas “difíceis” como, por exemplo, de crianças e adolescentes mais velhos e grupos de irmãos.

    O processo de produção do conteúdo, como vídeos e fotos das crianças, disponível no aplicativo para consulta exclusiva dos pretendentes também foi abordado durante a entrevista. O juiz falou sobre os cuidados necessários para a produção desse conteúdo, com o objetivo de não criar falsas esperanças para a criança. Com relação aos benefícios trazidos pelo aplicativo ao sistema de adoção brasileiro, Kreuz ressaltou: “A criança tem direito, de acordo com a Constituição, de viver em uma família, e para isso nós precisamos buscar alternativas. O aplicativo vem nessa direção para tentar viabilizar a convivência familiar dessas crianças e adolescentes”. Confira aqui a entrevista na íntegra.

Justiça Para Todos fala sobre os 10 anos de funcionamento do Projudi no TJPR

Quarta, 09 Agosto 2017

Justiça Para Todos fala sobre os 10 anos de funcionamento do Projudi no TJPR

Tema:

Sistema Projudi

Entrevistado:

Marcelo Gobbo Dalla Dea

Nesta quarta-feira (09), o Justiça Para Todos conversou com o desembargador Marcelo Gobbo Dalla Dea, supervisor geral do Departamento de Tecnologia da Informação e Comunicação do Tribunal de Justiça do Paraná. Ele trouxe aos ouvintes mais informações sobre o Projudi, sistema que funciona há 10 anos no estado. “O Projudi é um sistema digital que substitui o processo físico por um totalmente digitalizado”, explica o magistrado, comentando também sobre a abrangência e os resultados da ferramenta. “No Paraná, os processos andam a 30% do tempo que os processos físicos andam em qualquer outro lugar do país”, destaca.
O desembargador ainda discutiu, durante a conversa, sobre a importância da busca pela agilidade na tramitação dos processos, avaliando os desafios do Poder Judiciário nessa adaptação a novos modelos. “É preciso que se saiba que a tecnologia é uma ferramenta de auxílio, mas não é uma solução. Não existe nada que substitua o talento pessoal do operador do Direito”, ressalta. O magistrado comentou, também, sobre o funcionamento do Processo Judicial Eletrônico (PJe) – sistema desenvolvido pelo Conselho Nacional de Justiça –, e refletiu sobre as medidas a serem adotadas para o constante aprimoramento do Judiciário na agilidade dos processos.
Confira aqui a entrevista na íntegra.

bemapbjudibamb403069308 jusprevlogo