O Programa mais Recente:

  • Atuação do Gaeco na Tríplice Fronteira é tema de edição do Justiça Para Todos

    Atuação do Gaeco na Tríplice Fronteira é tema de edição do Justiça Para Todos

    Entrevistado:

    Tiago Lisboa Mendonça

    Data do Programa:

    Quinta, 08 Fevereiro 2018

    Tema:

    Atuação do Gaeco

    O Justiça Para Todos conversou, nesta quinta-feira (08), com o promotor Tiago Lisboa Mendonça, coordenador da unidade de Foz do Iguaçu do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Na oportunidade, ele explicou aos ouvintes sobre as competências e a atuação do órgão: “O trabalho desenvolvido pelo Gaeco é atuar em um nicho muito específico que é a área de combate à criminalidade organizada”.
    Durante a conversa, o promotor também comentou sobre o panorama atual da criminalidade nas áreas de fronteira, mais especificamente em Foz do Iguaçu. “É uma teia muito grande de crimes que se relacionam com essa posição geográfica, e isso demanda uma atuação bem específica do Gaeco”, observa. Tiago avaliou, ainda, os desafios no trabalho desenvolvido pelo órgão nessa região.
    Confira aqui a entrevista na íntegra.

Justiça Para Todos discute direitos dos imigrantes e trabalho realizado pela Casa Latino-Americana

Segunda, 07 Agosto 2017

Justiça Para Todos discute direitos dos imigrantes e trabalho realizado pela Casa Latino-Americana

Tema:

Direitos dos imigrantes

Entrevistado:

Caroline Godói

Nesta segunda-feira (07), o Justiça Para Todos entrevistou a advogada Caroline Godói, que falou sobre os direitos dos refugiados e imigrantes e discutiu o trabalho desenvolvido pela Casa Latino-Americana (Casla) no atendimento aos estrangeiros. Explicando aos ouvintes, primeiramente, a diferença entre imigrantes e refugiados, ela comentou sobre os principais direitos previstos aos estrangeiros que chegam ao Brasil e, também, sobre as inovações trazidas pela Nova Lei de Migração, que substitui o antigo Estatuto do Estrangeiro. “A nova lei procurou trazer um novo paradigma para lidar com essa questão – que é a partir dos direitos humanos, e não da segurança nacional”, avalia.
Na oportunidade, Caroline também explicou o conceito de xenofobia e as possíveis punições previstas para esse tipo de discriminação: “Infelizmente ela se manifesta de muitas formas, desde comentários na internet a, até mesmo, casos de agressão e homicídio”, ressalta. Comentando sobre os objetivos e o trabalho realizado pela Casa Latino-Americana, a advogada discutiu, ainda, sobre os principais desafios no poder público e na sociedade civil para a conscientização dos direitos do imigrante. “É importante as pessoas terem consciência de que a intolerância com uma pessoa que veio de fora não é uma opinião, é crime”, pontua.
Confira aqui a entrevista na íntegra.

bemapbjudibamb403069308 jusprevlogo