O Programa mais Recente:

  • Atuação do Gaeco na Tríplice Fronteira é tema de edição do Justiça Para Todos

    Atuação do Gaeco na Tríplice Fronteira é tema de edição do Justiça Para Todos

    Entrevistado:

    Tiago Lisboa Mendonça

    Data do Programa:

    Quinta, 08 Fevereiro 2018

    Tema:

    Atuação do Gaeco

    O Justiça Para Todos conversou, nesta quinta-feira (08), com o promotor Tiago Lisboa Mendonça, coordenador da unidade de Foz do Iguaçu do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Na oportunidade, ele explicou aos ouvintes sobre as competências e a atuação do órgão: “O trabalho desenvolvido pelo Gaeco é atuar em um nicho muito específico que é a área de combate à criminalidade organizada”.
    Durante a conversa, o promotor também comentou sobre o panorama atual da criminalidade nas áreas de fronteira, mais especificamente em Foz do Iguaçu. “É uma teia muito grande de crimes que se relacionam com essa posição geográfica, e isso demanda uma atuação bem específica do Gaeco”, observa. Tiago avaliou, ainda, os desafios no trabalho desenvolvido pelo órgão nessa região.
    Confira aqui a entrevista na íntegra.

Justiça Para Todos discute atuação do Comitê “De Olho na Transparência”

Segunda, 31 Julho 2017

Justiça Para Todos discute atuação do Comitê “De Olho na Transparência”

Tema:

Transparência pública

Entrevistado:

Laerzio Chiesorin Junior

O Justiça Para Todos conversou, nesta segunda-feira (31), com o advogado Laerzio Chiesorin Junior, presidente do Comitê “De Olho na Transparência”. Ele falou sobre os objetivos e os trabalhos realizados pelo grupo, explicando também o conceito de transparência pública: “É abrangido por esse conceito o conhecimento que deve ser dado ao cidadão de todas as coisas que ocorrem no Estado”, afirma. O advogado comentou, ainda, sobre as vantagens da aplicação da Lei da Transparência e da Lei de Acesso à Informação na administração pública, ressaltando a importância do controle social nesse setor. “É básico, para combater a corrupção, que se saiba o que os nossos gerentes, administradores, os políticos eleitos – ou só indicados – estão fazendo”, pontua.
Esclarecendo que informações os portais da transparência devem disponibilizar ao cidadão, o advogado explicou sobre a criação e a forma de atuação do Comitê no aprimoramento desses sistemas: “Para nós, não é apenas necessário que as informações sejam colocadas, mas que sejam colocadas de maneira clara e acessível”, observa. Laerzio também comentou sobre os resultados alcançados pelo projeto até o momento e os planos futuros para o Comitê.
Confira aqui a entrevista na íntegra.

bemapbjudibamb403069308 jusprevlogo