O Programa mais Recente:

  • Atuação do Gaeco na Tríplice Fronteira é tema de edição do Justiça Para Todos

    Atuação do Gaeco na Tríplice Fronteira é tema de edição do Justiça Para Todos

    Entrevistado:

    Tiago Lisboa Mendonça

    Data do Programa:

    Quinta, 08 Fevereiro 2018

    Tema:

    Atuação do Gaeco

    O Justiça Para Todos conversou, nesta quinta-feira (08), com o promotor Tiago Lisboa Mendonça, coordenador da unidade de Foz do Iguaçu do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Na oportunidade, ele explicou aos ouvintes sobre as competências e a atuação do órgão: “O trabalho desenvolvido pelo Gaeco é atuar em um nicho muito específico que é a área de combate à criminalidade organizada”.
    Durante a conversa, o promotor também comentou sobre o panorama atual da criminalidade nas áreas de fronteira, mais especificamente em Foz do Iguaçu. “É uma teia muito grande de crimes que se relacionam com essa posição geográfica, e isso demanda uma atuação bem específica do Gaeco”, observa. Tiago avaliou, ainda, os desafios no trabalho desenvolvido pelo órgão nessa região.
    Confira aqui a entrevista na íntegra.

Justiça Para Todos discute aplicação do novo Código de Processo Civil nas questões ambientais

Sexta, 18 Agosto 2017

Justiça Para Todos discute aplicação do novo Código de Processo Civil nas questões ambientais

Tema:

CPC - questões ambientais

Entrevistado:

Jorge de Oliveira Vargas

O Justiça Para Todos conversou, nesta sexta-feira (18), com o desembargador e professor Jorge de Oliveira Vargas, que falou sobre o tratamento das questões ambientais no Novo Código de Processo Civil. O magistrado primeiramente esclareceu aos ouvintes quais foram as principais inovações trazidas pelo atual CPC. “O novo Código de Processo Civil deixa bem claro que a lei não vale por si só; ela vale na proporção em que atende aos interesses sociais, da dignidade da pessoa humana, da razoabilidade, da eficiência, e, portanto, traz uma nova visão do nosso ordenamento jurídico”, comenta.
O desembargador explicou de que maneira o novo CPC facilita a resolução de algumas das demandas relacionadas ao Direito Ambiental: “quando existem muitas ações envolvendo um mesmo fato – por exemplo, um mesmo dano ambiental –, o Código atual permite que seja selecionado um ou mais processos e, através do julgamento deles, fiquem resolvidos todos os outros casos semelhantes”, afirma. O magistrado também esclareceu o que o Código dispõe sobre as ações coletivas e tutelas provisórias, citando exemplos práticos de questões ambientais do cotidiano, e discutiu ainda sobre a multidisciplinariedade característica desse ramo do Direito.
Confira aqui a entrevista na íntegra.

bemapbjudibamb403069308 jusprevlogo