O Programa mais Recente:

  • Conheça o trabalho desenvolvido pelo Núcleo de Práticas de Incentivo à Autocomposição do MPPR

    Conheça o trabalho desenvolvido pelo Núcleo de Práticas de Incentivo à Autocomposição do MPPR

    Entrevistado:

    Samia Saad Galotti Bonavides

    Data do Programa:

    Terça, 22 Janeiro 2019

    Tema:

    Trabalho desenvolvido pelo Núcleo de Práticas de Incentivo à Autocomposição do MPPR

    Nesta terça-feira (22), o Justiça para Todos conversou com a procuradora de justiça Samia Saad Galotti Bonavides sobre o trabalho desenvolvido pelo Núcleo de Práticas de Incentivo à Autocomposição do Ministério Público do Paraná. A convidada deu início a entrevista explicando o que são os métodos alternativos de resolução de conflitos, os principais objetivos da iniciativa do MPPR e como funcionará na prática o trabalho realizado pelo Núcleo. Além de falar sobre a importância da política de incentivo e aperfeiçoamento dos mecanismos de autocomposição, Samia apontou os benefícios que estas práticas trazem a sociedade. Com relação aos planos para o ano de 2019, a procuradora ressaltou: “Os planos são no sentido do Núcleo se consolidar e principalmente, conseguir estimular e atuar em composição na área dos direitos difusos e coletivos”.  Confira aqui a entrevista na íntegra. 

Eliana Tavares Paes Lopes fala sobre os direito das mulheres

Quarta, 25 Julho 2018

Eliana Tavares Paes Lopes fala sobre os direito das mulheres

Tema:

Direito das mulheres

Entrevistado:

Eliana Tavares Paes Lopes

A defensora pública Eliana Tavares Paes Lopes conversou com o Justiça para Todos, nesta quarta-feira (25), sobre os direitos das mulheres. Eliana iniciou a conversa falando sobre o que abrange os direitos das mulheres atualmente, as características da violência doméstica e obstétrica e as violações mais recorrentes dos direitos femininos. Além de explicar o trabalho desenvolvido pela Defensoria Pública do Paraná em prol dos direitos das mulheres, a entrevistada trouxe esclarecimentos sobre a lei Maria da Penha e em quais casos a lei pode ser aplicada. Com relação ao ciclo de violência onde a mulher pode estar inserida, Eliana ressaltou: “Não é só denunciando, a mulher internamente precisa se libertar daquilo e aí entra as redes de mulheres, o apoio mútuo, as conversas entre mulheres, tem toda uma questão de empoderamento que a mulher tem que ter”. Confira aqui a entrevista na íntegra. 

bemapbjudibamb403069308 jusprevlogo