Em Portugal, juiz Sérgio Kreuz ministra palestras sobre acolhimento familiar

Jéssica Camille Alves Terça, 12 Março 2019

Em Portugal, juiz Sérgio Kreuz ministra palestras sobre acolhimento familiar

O sistema brasileiro de acolhimento de crianças e adolescentes e o acolhimento familiar foram os assuntos tratados pelo juiz paranaense Sérgio Kreuz, em Portugal, em uma aula para mestrandos da Escola Superior de Educação do Politécnico do Porto e em uma palestra para magistrados, professores, alunos e técnicos das instituições de acolhimento da região do Porto. Além de ter sido convidado para esses dois eventos, o magistrado, referência na área do acolhimento familiar, também visitou a instituição "Mundos de vida", que realiza um trabalho pioneiro de acolhimento familiar em Portugal desde 2006, "curiosamente o mesmo ano em que começamos em Cascavel", destacou Kreuz e complementou: "muito bom ver e constatar que temos mais semelhanças do que diferenças e dificuldades muito similares".

Referência - O juiz Sérgio Kreuz explica que o Estatuto da Criança e do Adolescente determina que o acolhimento familiar seja a modalidade de acolhimento preferencial. Significa que, se uma criança ou adolescente precisa ser afastada de sua família por violência, abuso sexual ou negligência, por exemplo, a primeira alternativa deve ser o acolhimento familiar e não, como ocorre na prática, o acolhimento institucional. “Temos menos de 5% de acolhimentos familiares, enquanto países como Irlanda, Austrália passam de 90%”, afirma o magistrado.

O trabalho desenvolvido com o acolhimento familiar pelo juiz em Cascavel, em parceria com o Ministério Público, o executivo municipal e toda rede de proteção, é referência nacional. Como nos países mais desenvolvidos no tema, Cascavel possui mais de 90% dos acolhidos em família acolhedora. “É o maior Serviço de Acolhimento Familiar da América Latina, com mais de 200 acolhidos entre crianças, adolescentes e jovens”, destacou.

bemapbjudibamb403069308 jusprevlogo