O Programa mais Recente:

  •   Juiz Ricardo José Lopes fala sobre o combate ao racismo

    Juiz Ricardo José Lopes fala sobre o combate ao racismo

    Entrevistado:

    Ricardo José Lopes

    Data do Programa:

    Quarta, 14 Novembro 2018

    Tema:

    Combate ao racismo

    O juiz da comarca de Matinhos, Ricardo José Lopes, conversou com o Justiça para Todos, nesta quarta-feira (14) sobre o combate ao racismo no Brasil. O convidado deu início a entrevista explicando aos ouvintes da rádio Paraná Educativa o que a lei brasileira considera como racismo, quais são as penalidades previstas em lei para este crime e o que uma pessoa que é vítima de alguma conduta racista pode fazer para denunciar. O magistrado trouxe ainda uma reflexão sobre a dificuldade de se combater o racismo no Brasil, visto a relutância para assumi-lo como um problema social. O juiz falou também como a sua experiência pessoal perpassa pela temática, citando algumas situações em que foi vítima do racismo. Na oportunidade, ele destacou o evento recentemente realizado no litoral paranaense, o “Paranaguá em Movimento pela Igualdade Racial”, que comemorou a criação do Conselho Municipal de promoção da igualdade racial. Confira a entrevista na íntegra. 

Entenda as mudanças nos honorários de sucumbência trazidas pela reforma trabalhista

Sexta, 26 Outubro 2018

Entenda as mudanças nos honorários de sucumbência trazidas pela reforma trabalhista

Tema:

honorários de sucumbência

Entrevistado:

Marco Aurélio Guimarães

Os honorário de sucumbência  foram uma das mudanças trazidas pela nova reforma trabalhista que ainda tem gerado muitas dúvidas na população e, para esclarecer esse assunto, o Justiça para Todos conversou com o advogado Marco Aurélio Guimarães, na sexta-feira (26). Durante a entrevista, o convidado explicou aos ouvintes da rádio Paraná Educativa o que são os honorários de sucumbência, o dever do advogado em orientar seu cliente sobre os riscos do processo e como é definido o percentual que a parte perdedora deverá pagar. Questionado a respeito da diminuição das ações na esfera da justiça trabalhista, como consequência dos honorários de sucumbência, o advogado ressaltou: O que o legislador entendeu é que havia um abuso do direito de petição na justiça do trabalho, uma quantidade de ações muito significativas, pedidos sem nenhum fundamento fático ou jurídico e acabou se entendendo por limitar o direito de petição. Após a reforma nós temos reclamações trabalhistas muito mais enxutas. Confira aqui a entrevista na íntegra.  

bemapbjudibamb403069308 jusprevlogo