O Programa mais Recente:

  • Atuação do Gaeco na Tríplice Fronteira é tema de edição do Justiça Para Todos

    Atuação do Gaeco na Tríplice Fronteira é tema de edição do Justiça Para Todos

    Entrevistado:

    Tiago Lisboa Mendonça

    Data do Programa:

    Quinta, 08 Fevereiro 2018

    Tema:

    Atuação do Gaeco

    O Justiça Para Todos conversou, nesta quinta-feira (08), com o promotor Tiago Lisboa Mendonça, coordenador da unidade de Foz do Iguaçu do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Na oportunidade, ele explicou aos ouvintes sobre as competências e a atuação do órgão: “O trabalho desenvolvido pelo Gaeco é atuar em um nicho muito específico que é a área de combate à criminalidade organizada”.
    Durante a conversa, o promotor também comentou sobre o panorama atual da criminalidade nas áreas de fronteira, mais especificamente em Foz do Iguaçu. “É uma teia muito grande de crimes que se relacionam com essa posição geográfica, e isso demanda uma atuação bem específica do Gaeco”, observa. Tiago avaliou, ainda, os desafios no trabalho desenvolvido pelo órgão nessa região.
    Confira aqui a entrevista na íntegra.

Terceirização é tema de edição do Justiça Para Todos

Terça, 03 Outubro 2017

Terceirização é tema de edição do Justiça Para Todos

Tema:

Terceirização

Entrevistado:

Célio Pereira Oliveira Neto

Nesta terça-feira (03), o Justiça Para Todos trouxe mais informações sobre a terceirização do trabalho e as polêmicas que envolvem essa questão. O advogado Célio Pereira Oliveira Neto explicou aos ouvintes quais são os atuais direitos e benefícios previstos na legislação para o trabalhador terceirizado, bem como as vantagens e desvantagens desse tipo de trabalho. Ele também mencionou as diferenças jurídicas entre as atividades temporárias e terceirizadas.
Na oportunidade, o advogado ainda esclareceu as principais dúvidas relacionadas à recém-sancionada Lei da Terceirização, especificando as mudanças trazidas pela nova legislação e avaliando as suas consequências práticas nas relações de trabalho. “Em decorrência da nova lei, há segurança jurídica para a terceirização, independentemente de qual atividade – inclusive para a quarteirização de serviços”, comenta.
Confira aqui a entrevista na íntegra.

bemapbjudibamb403069308 jusprevlogo