O Programa mais Recente:

  • Saiba o que são os direitos humanos e a sua importância para a sociedade

    Saiba o que são os direitos humanos e a sua importância para a sociedade

    Entrevistado:

    Luiza Engers, Henrique Burkinsky e Henrique Delavi Daum

    Data do Programa:

    Sexta, 18 Janeiro 2019

    Tema:

    Clínica de Direitos Humanos da PUR-PT

    Os integrantes da Clínica de Direitos Humanos da PUC-PR, Luiza Engers, Henrique Burkinsky e Henrique Delavi conversaram com o Justiça para Todos, na sexta-feira (18), sobre o trabalho desenvolvido pela Clínica. No início da entrevista os convidados explicaram o que são os direitos humanos, quando eles surgiram e por quais motivos grande parcela da população tem uma visão equivocada com relação a estes direitos. Na oportunidade, os entrevistados também apontaram em quais situações o Estado se torna um violador dos direitos humanos e de que forma estas violações são reparadas. Confira aqui a entrevista na íntegra.

Justiça Para Todos traz informações sobre o trabalho desenvolvido pela Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar

Quinta, 22 Março 2018

Justiça Para Todos traz informações sobre o trabalho desenvolvido pela Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar

Tema:

Violência doméstica e familiar

Entrevistado:

Lenice Bodstein

Nesta quinta-feira (22), o programa Justiça Para Todos conversou com a desembargadora Lenice Bodstein, que explicou sobre o trabalho desenvolvido pela Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar (CEVID). Falando sobre os objetivos da coordenadoria, Lenice esclareceu quais são as principais frentes de trabalho e projetos desenvolvidos e apoiados pela CEVID, avaliando também a situação do estado em relação à violência doméstica. “É um trabalho delicado, e é preciso que a população saiba que, embora nos esforcemos muito, o serviço de prevenção é extremamente necessário, porque os números ainda são muito altos”, observa.
A desembargadora também esclareceu de que forma a coordenadoria trabalha na prevenção da violência doméstica, destacando a importância do trabalho de conscientização dos agressores. “Não é só a vítima que precisa de atendimento. Além do cumprimento de uma penalidade por cometer delitos contra a mulher, o ofensor também precisa se conscientizar”, pontua. A magistrada explicou, ainda, de que maneira a vítima pode fazer uma denúncia de violência doméstica e familiar.
Confira aqui a entrevista na íntegra.

bemapbjudibamb403069308 jusprevlogo