O Programa mais Recente:

  • Procurador fala sobre combate ao trabalho escravo

    Procurador fala sobre combate ao trabalho escravo

    Entrevistado:

    Alberto Emiliano de Oliveira Neto

    Data do Programa:

    Quinta, 19 Abril 2018

    Tema:

    Trabalho Escravo

    O combate ao trabalho escravo foi o tema do Justiça para Todos da quinta-feira (19). O procurador do trabalho Alberto Emiliano de Oliveira Neto explicou aos ouvintes o que significa falarmos em trabalho escravo nos dias atuais. “Temos que compreender a escravidão moderna como violação dos direitos fundamentais”, afirmou e complementou: “Especificamente, podemos definir três hipóteses que caracterizam efetivamente o trabalho escravo: a jornada exaustiva, a condição degradante e a restrição da liberdade de ir e vir”. Na oportunidade, o procurador ainda traçou um panorama sobre a evolução histórica do combate ao trabalho escravo no Brasil e pontuou alguns avanços que ocorreram nos últimos anos. Confira aqui a entrevista na íntegra. 

Justiça Para Todos fala sobre projetos sociais desenvolvidos na comarca de Sengés

Segunda, 06 Novembro 2017

Justiça Para Todos fala sobre projetos sociais desenvolvidos na comarca de Sengés

Tema:

Responsabilidade social

Entrevistado:

Marcelo Quentin

Nesta segunda-feira (06), o Justiça Para Todos recebeu o juiz Marcelo Quentin, que trouxe mais informações sobre dois projetos de responsabilidade social: o “Justiça Sem Grades” e “Adolescente em Desenvolvimento”, desenvolvidos na comarca de Sengés, no Paraná. Primeiramente, o magistrado explicou quais são os principais objetivos do “Justiça Sem Grades”, pontuando a atual situação do sistema prisional no país: “Nós temos um problema muito sério em falta de vagas em penitenciárias. A maioria dos presos se encontra dentro de carceragens, na delegacia de polícia, ou em cadeia pública”. Ele também comentou sobre o processo de reinauguração da cadeia pública de Sengés, que contou com a contribuição dos presos envolvidos no projeto.
Na oportunidade, o juiz também falou sobre os objetivos do “Adolescente em Desenvolvimento”, iniciativa direcionada aos menores infratores. “A ideia é inserir nesse trabalho alguns adolescentes infratores, sob a supervisão do delegado de polícia, e possibilitando que os adolescentes trabalhem, também, em órgãos públicos”, comenta. O magistrado destacou, ainda, as principais dificuldades encontradas no processo de ressocialização dos adolescentes.
Confira aqui a entrevista na íntegra.

bemapbjudibamb403069308 jusprevlogo