O Programa mais Recente:

  • Justiça Para Todos traz informações sobre a Escola da Magistratura do Paraná

    Justiça Para Todos traz informações sobre a Escola da Magistratura do Paraná

    Entrevistado:

    José Laurindo de Souza Netto

    Data do Programa:

    Segunda, 16 Abril 2018

    Tema:

    Escola da Magistratura do Paraná

    Nesta segunda-feira (16), o Justiça Para Todos conversou com o desembargador José Laurindo de Souza Netto, diretor-geral da Escola da Magistratura do Paraná. Na oportunidade, ele trouxe mais informações sobre o trabalho desenvolvido pela EMAP, explicando quais cursos são ofertados pela instituição. “Ela se destina a preparar, atualizar e especializar os magistrados, não só nos cursos de vitaliciamento, mas também nos de preparação inicial e formação continuada. Também tem como objetivo preparar os bacharéis de Direito para o exercício da magistratura, para que possam prestar o concurso de ingresso”, afirma.
    O desembargador também comentou sobre os diferenciais da escola e avaliou o desempenho dos alunos da EMAP nos concursos para a magistratura. José Laurindo falou, ainda, sobre a importância da atuação da escola na formação e aperfeiçoamento dos juízes. “O que se verifica hoje é que um dos maiores desafios ao Poder Judiciário é selecionar e formar bons magistrados, aptos a solucionar não só o processo, o caso concreto, mas também o conflito sociológico – que é muito mais amplo e nem sempre é possível de ser resolvido com a mera aplicação da lei”, reflete.
    Confira aqui a entrevista na íntegra.

Justiça Para Todos fala sobre projeto Pacificar é Divino, do TJPR

Quinta, 29 Junho 2017

Justiça Para Todos fala sobre projeto Pacificar é Divino, do TJPR

Tema:

Projeto Pacificar é Divino

Entrevistado:

Stela Stafin

Nesta quinta-feira (29), o Justiça Para Todos conversou com a assessora da 2ª vice-presidência do Tribunal de Justiça do Paraná, Stela Stafin, que é gestora do projeto Pacificar é Divino. Ela explicou aos ouvintes como funciona e quais são as principais metas do programa. “O objetivo do projeto é divulgar a cultura da conciliação. Buscamos possibilitar que, além de aconselhadores espirituais, os líderes religiosos se tornem, também, conciliadores, atuando na resolução de conflitos”, afirma Stela. Ela comentou sobre os resultados alcançados pelo projeto até o momento e as expectativas do Tribunal de Justiça do Estado quanto à efetividade da iniciativa: “Nós pretendemos contribuir para uma cultura de pacificação e desconstruir essa cultura de litígio que permeia, hoje, a sociedade brasileira”, observa.
Stela explicou aos ouvintes, ainda, o significado dos conceitos de conciliação e mediação, destacando as vantagens dessas formas de resolução de conflitos. “Elas contribuem para uma cultura de paz e, além disso, servem para reatar laços familiares e sociais muitas vezes rompidos. Elas vão mais fundo na questão, não resolvem apenas o litígio em si, e também enaltecem a importância do diálogo na resolução dos conflitos”, pontua.
Confira aqui a entrevista na íntegra.

bemapbjudibamb403069308 jusprevlogo