O Programa mais Recente:

  • Conheça o A.DOT, primeiro aplicativo de adoção do Brasil

    Conheça o A.DOT, primeiro aplicativo de adoção do Brasil

    Entrevistado:

    Sérgio Kreuz

    Data do Programa:

    Quinta, 19 Julho 2018

    Tema:

    Aplicativo para adoção

    O Justiça para Todos desta quinta- feira (19) conversou com o juiz Sérgio Kreuz sobre o A.DOT, primeiro aplicativo de adoção do Brasil, lançado no dia 25 de maio, em comemoração ao dia nacional da adoção. O magistrado iniciou a conversa explicando o motivo pelo qual houve a necessidade da criação do aplicativo, seu funcionamento na prática e o principal objetivo da ferramenta, que é dar visibilidade as adoções chamadas “difíceis” como, por exemplo, de crianças e adolescentes mais velhos e grupos de irmãos.

    O processo de produção do conteúdo, como vídeos e fotos das crianças, disponível no aplicativo para consulta exclusiva dos pretendentes também foi abordado durante a entrevista. O juiz falou sobre os cuidados necessários para a produção desse conteúdo, com o objetivo de não criar falsas esperanças para a criança. Com relação aos benefícios trazidos pelo aplicativo ao sistema de adoção brasileiro, Kreuz ressaltou: “A criança tem direito, de acordo com a Constituição, de viver em uma família, e para isso nós precisamos buscar alternativas. O aplicativo vem nessa direção para tentar viabilizar a convivência familiar dessas crianças e adolescentes”. Confira aqui a entrevista na íntegra.

Justiça Para Todos explica sobre os procedimentos de escuta especializada e depoimento especial

Terça, 10 Abril 2018

Justiça Para Todos explica sobre os procedimentos de escuta especializada e depoimento especial

Tema:

Escuta especializada e depoimento especial

Entrevistado:

David Kerber de Aguiar

Nesta terça-feira (10), o Justiça Para Todos conversou com o promotor David Kerber de Aguiar, que explicou aos ouvintes como funcionam os procedimentos de escuta especializada e depoimento especial, recursos utilizados nas audiências com crianças e adolescentes vítimas ou testemunhas de crimes. Comentando sobre os tipos mais comuns de violência contra menores no país, o promotor trouxe mais informações sobre a Lei n° 13.431 de 2017, que instituiu esses procedimentos. “Eles [esses recursos] visam, basicamente, dar a essas vítimas e testemunhas menores de idade o direito ao esquecimento, para que o procedimento seja feito de forma célere, e evitar a revitimização”, afirma.
Na oportunidade, o promotor também explicou como é feita a apuração desses crimes e que tipo de acompanhamento é destinado às crianças e adolescentes após a realização da audiência. David comentou, ainda, sobre o processo de implementação da lei no país e no estado, e esclareceu como um cidadão pode denunciar um caso que envolva violência contra um menor. “Todos têm o dever de comunicar às autoridades os casos de violência ou qualquer outra situação de abuso contra a criança ou adolescente”, ressalta.
Confira aqui a entrevista na íntegra.

bemapbjudibamb403069308 jusprevlogo