O Programa mais Recente:

  • Atuação do Gaeco na Tríplice Fronteira é tema de edição do Justiça Para Todos

    Atuação do Gaeco na Tríplice Fronteira é tema de edição do Justiça Para Todos

    Entrevistado:

    Tiago Lisboa Mendonça

    Data do Programa:

    Quinta, 08 Fevereiro 2018

    Tema:

    Atuação do Gaeco

    O Justiça Para Todos conversou, nesta quinta-feira (08), com o promotor Tiago Lisboa Mendonça, coordenador da unidade de Foz do Iguaçu do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Na oportunidade, ele explicou aos ouvintes sobre as competências e a atuação do órgão: “O trabalho desenvolvido pelo Gaeco é atuar em um nicho muito específico que é a área de combate à criminalidade organizada”.
    Durante a conversa, o promotor também comentou sobre o panorama atual da criminalidade nas áreas de fronteira, mais especificamente em Foz do Iguaçu. “É uma teia muito grande de crimes que se relacionam com essa posição geográfica, e isso demanda uma atuação bem específica do Gaeco”, observa. Tiago avaliou, ainda, os desafios no trabalho desenvolvido pelo órgão nessa região.
    Confira aqui a entrevista na íntegra.

Justiça Para Todos esclarece dúvidas relacionadas ao extravio de bagagem nos aeroportos

Terça, 19 Setembro 2017

Justiça Para Todos esclarece dúvidas relacionadas ao extravio de bagagem nos aeroportos

Tema:

Extravio de bagagem

Entrevistado:

Eduardo Zwierzikowski

Nesta terça-feira (19), o Justiça Para Todos recebeu o advogado Eduardo Mendes Zwierzikowski, que esclareceu as dúvidas mais frequentes sobre o extravio de bagagens nos aeroportos, especificando os direitos dos consumidores nessas situações. Primeiramente, ele explicou do que trata a recente decisão do STF referente à proteção do passageiro: “O Supremo decidiu que as convenções internacionais – dentre elas, a mais importante a Convenção de Montreal – têm prevalência sobre o Código de Defesa do Consumidor”, afirma.
O advogado também esclareceu o que está disposto na Convenção e quais as consequências dessas mudanças nos casos de extravio. “É importante que a garantia do direito à indenização prevaleça em todos os países que aderiram à Convenção de Montreal. Para as companhias aéreas também há um ganho substancial, porque antes a indenização era ilimitada; hoje, com o valor tabelado, será mais vantajoso, porque terão uma previsibilidade maior”, comenta. Por fim, ele deu algumas recomendações básicas ao consumidor para prevenir esse tipo de problema.
Confira aqui a entrevista na íntegra.

bemapbjudibamb403069308 jusprevlogo