O Programa mais Recente:

  • Atuação do Gaeco na Tríplice Fronteira é tema de edição do Justiça Para Todos

    Atuação do Gaeco na Tríplice Fronteira é tema de edição do Justiça Para Todos

    Entrevistado:

    Tiago Lisboa Mendonça

    Data do Programa:

    Quinta, 08 Fevereiro 2018

    Tema:

    Atuação do Gaeco

    O Justiça Para Todos conversou, nesta quinta-feira (08), com o promotor Tiago Lisboa Mendonça, coordenador da unidade de Foz do Iguaçu do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Na oportunidade, ele explicou aos ouvintes sobre as competências e a atuação do órgão: “O trabalho desenvolvido pelo Gaeco é atuar em um nicho muito específico que é a área de combate à criminalidade organizada”.
    Durante a conversa, o promotor também comentou sobre o panorama atual da criminalidade nas áreas de fronteira, mais especificamente em Foz do Iguaçu. “É uma teia muito grande de crimes que se relacionam com essa posição geográfica, e isso demanda uma atuação bem específica do Gaeco”, observa. Tiago avaliou, ainda, os desafios no trabalho desenvolvido pelo órgão nessa região.
    Confira aqui a entrevista na íntegra.

Justiça Para Todos discute crimes contra a saúde pública

Quarta, 02 Agosto 2017

Justiça Para Todos discute crimes contra a saúde pública

Tema:

Crimes contra a saúde pública

Entrevistado:

Fábio Guaragni

O Justiça Para Todos conversou, nesta quarta-feira (02), com o procurador de Justiça Fábio Guaragni, que falou sobre crimes contra a saúde pública. Primeiramente, ele explicou o que caracteriza esse tipo de prática, citando alguns exemplos de crimes dessa natureza. Na oportunidade, o procurador também explicou aos ouvintes como funciona o trabalho do Ministério Público no combate aos crimes contra a saúde pública. “O Ministério Público tem um centro de apoio de saúde pública. Esse centro trabalha junto a promotorias especializadas, que trabalham não tanto da perspectiva criminal, mas talvez mais da perspectiva cível, das ações civis públicas e das gestões administrativas junto aos órgãos que compõem, por exemplo, o Sistema Único de Saúde”, comenta.
Por fim, Guaragni ainda discutiu sobre os atuais desafios do poder público na garantia da saúde pública no país. “Em uma época de fronteiras fluidas, de transportes fáceis, de globalização das transações comerciais, em que os pagamentos são feitos com um clique de teclado, ou no celular; a questão é que há um descompasso entre a agência controladora territorial e o fenômeno a ser controlado transterritorial, supraterritorial”, reflete.
Confira aqui a entrevista na íntegra.

bemapbjudibamb403069308 jusprevlogo