O Programa mais Recente:

  • Atuação do Gaeco na Tríplice Fronteira é tema de edição do Justiça Para Todos

    Atuação do Gaeco na Tríplice Fronteira é tema de edição do Justiça Para Todos

    Entrevistado:

    Tiago Lisboa Mendonça

    Data do Programa:

    Quinta, 08 Fevereiro 2018

    Tema:

    Atuação do Gaeco

    O Justiça Para Todos conversou, nesta quinta-feira (08), com o promotor Tiago Lisboa Mendonça, coordenador da unidade de Foz do Iguaçu do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Na oportunidade, ele explicou aos ouvintes sobre as competências e a atuação do órgão: “O trabalho desenvolvido pelo Gaeco é atuar em um nicho muito específico que é a área de combate à criminalidade organizada”.
    Durante a conversa, o promotor também comentou sobre o panorama atual da criminalidade nas áreas de fronteira, mais especificamente em Foz do Iguaçu. “É uma teia muito grande de crimes que se relacionam com essa posição geográfica, e isso demanda uma atuação bem específica do Gaeco”, observa. Tiago avaliou, ainda, os desafios no trabalho desenvolvido pelo órgão nessa região.
    Confira aqui a entrevista na íntegra.

Justiça Para Todos discute atuação da Ouvidoria do TJPR

Quinta, 27 Julho 2017

Justiça Para Todos discute atuação da Ouvidoria do TJPR

Tema:

Ouvidoria do Tribunal de Justiça do Paraná

Entrevistado:

Lenice Bodstein

Nesta quinta-feira (27), o Justiça Para Todos conversou com a desembargadora Lenice Bodstein, ouvidora-geral do Tribunal de Justiça do Paraná. Na oportunidade, ela explicou aos ouvintes sobre o trabalho realizado pela Ouvidoria do TJPR, falando sobre a criação e os principais objetivos e atribuições do órgão. “Ela é um elo de ligação entre o nosso cidadão, advogado, promotor, serventuário, funcionário e aqueles órgãos em que ele não consegue, por alguma razão, ter alguma informação”, afirma a magistrada.
A desembargadora também esclareceu de que forma o cidadão pode entrar em contato com o órgão, informando quais são os canais de comunicação disponibilizados ao público. A magistrada comentou, ainda, sobre os principais resultados alcançados nos anos de funcionamento da Ouvidoria, refletindo sobre sua experiência na coordenação dos trabalhos realizados pelo órgão. “É evidente que o trabalho da Ouvidoria nunca acaba, porque vão surgindo novas formas de informação. Nós vamos nos readaptando com um número de pessoas que, talvez, precisasse ser até o dobro para que se desse vazão a todas as perguntas. Mas o que nós temos é muita boa vontade; estamos à disposição da população”, avalia.
Confira aqui a entrevista na íntegra.

bemapbjudibamb403069308 jusprevlogo