O Programa mais Recente:

  • Conheça o programa “Justiça e Cidadania também se Aprendem na Escola”

    Conheça o programa “Justiça e Cidadania também se Aprendem na Escola”

    Entrevistado:

    Adriana de Lourdes Simette,

    Data do Programa:

    Quarta, 13 Fevereiro 2019

    Tema:

    Programa Justiça e Cidadania também se Aprendem na Escola

    A juíza diretora do Fórum Descentralizado de Santa Felicidade, Adriana de Lourdes Simette, participou nesta quarta-feira (13) do programa de rádio da AMAPAR, o Justiça para Todos. A magistrada falou para os ouvintes da Paraná Educativa, AM-630, sobre o Programa “Justiça e Cidadania também se Aprendem na Escola”, mais especificamente sobre o seu funcionamento no Fórum de Santa Felicidade.

    O programa, desenvolvido pelo desembargador Roberto Portugal Bacellar, completou recentemente 25 anos e já atendeu mais de 6 milhões de crianças em todo o Brasil. A iniciativa, criada pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), é coordenada no Paraná pela 2ª vice-presidência. A juíza Adriana explica que o objetivo é promover a aproximação do Poder Judiciário com a comunidade, por meio de crianças, que estão na faixa etária dos 9 aos 11 anos.  Confira aqui a entrevista na íntegra. 

Conheça quais são as medidas alternativas à prisão

Quinta, 04 Outubro 2018

Conheça quais são as medidas alternativas à prisão

Tema:

Efetividade das medidas alternativas à prisão

Entrevistado:

João Rafael de Oliveira

A efetividade das medidas alternativas à prisão foi o tema debatido pelo Justiça para Todos, desta quinta-feira (4). O advogado João Rafael de Oliveira trouxe mais informações e esclarecimentos a respeito do assunto. João explicou a diferença entre a prisão pena e a processual, os dois tipos de prisões existentes no Brasil e apontou as principais alternativas para essas duas categorias, no primeiro momento da entrevista. Na oportunidade o advogado também abordou a questão dos substitutivos penais como uma solução para o problema de superlotação dos presídios brasileiros, e as formas de remissão de pena através do trabalho e do estudo, objetivando a ressocialização do detento.Você tem que reprimir mas também tem que ressocializar. Para que esse cidadão que está preso possa se ressocializar é importante que dê a ele algumas atividades laborais e etc...”, destacou. Confira aqui a entrevista na íntegra.  

bemapbjudibamb403069308 jusprevlogo