O Programa mais Recente:

  • Conheça o trabalho realizado pela Ouvidoria Geral do Tribunal de Justiça

    Conheça o trabalho realizado pela Ouvidoria Geral do Tribunal de Justiça

    Entrevistado:

    Ana Lúcia Lourenço e Maria Aparecida Blanco de Lima

    Tema:

    Ouvidoria Geral do Tribunal de Justiça

    O trabalho desenvolvido pela Ouvidoria Geral do Tribunal de Justiça do Paraná foi o tema debatido pelo Justiça para Todos, na quinta-feira (11). As desembargadoras Ana Lúcia Lourenço, ouvidora geral do TJPR e Maria Aparecida Blanco de Lima, ouvidora substituta, foram convidadas para falar sobre o assunto. Logo no início da conversa, elas explicaram qual é o trabalho realizado na prática pela Ouvidoria Geral, que visa promover a comunicação entre a sociedade e o Poder Judiciário do Paraná. Além disso, esclareceram como a população pode ter acesso a este canal de comunicação para efetuar reclamações. Confira aqui a entrevista na íntegra. 

Conheça a nova lei 13.718/2018 com a promotora de justiça Mariana Dias

Terça, 30 Outubro 2018

Conheça a nova lei 13.718/2018 com a promotora de justiça Mariana Dias

Tema:

Nova lei 13.718/2018

Entrevistado:

Mariana Dias

A promotora de Justiça Mariana Dias conversou com o Justiça para Todos, nesta segunda-feira (29), sobre a nova lei 13.718/2018 que, entre outras medidas, criminaliza a importunação sexual. As mudanças trazidas pela lei com relação aos crimes contra a dignidade sexual, as penas para esse tipo de crime e como a vítima deve proceder em uma situação de importunação sexual, foram questões explicadas pela convidada no início da entrevista. Na oportunidade, a promotora também esclareceu o que está disposto na lei com relação a divulgação de cenas de estupro. Durante a conversa, Mariana fez uma reflexão a respeito da importância dessa nova lei para garantir os direitos das mulheres: “Mais do que trazer a punição e responsabilização do agressor, essa lei traz um recado para a sociedade no sentido de que a mulher deve ser respeitada na sua dignidade sexual, deve exercer a sua sexualidade da forma como ela entender, dentro dos padrões que não tragam nenhum tipo de prejuízo a ninguém” Confira aqui a entrevista na íntegra. 

bemapbjudibamb403069308 jusprevlogo