O Programa mais Recente:

  • Entenda o Direito Eleitoral e as eleições de 2018

    Entenda o Direito Eleitoral e as eleições de 2018

    Entrevistado:

    Emma Roberta Palu Bueno

    Data do Programa:

    Terça, 18 Setembro 2018

    Tema:

    Eleições 2018

    Nesta terça-feira (18) a advogada Emma Roberta Palu Bueno, conversou com o Justiça para Todos sobre Direito Eleitoral e as Eleições de 2018. Emma explicou, durante a entrevista, o processo do registro de candidatura, os motivos pelos quais os partidos formam coligações e os prós e contras da chamada candidatura avulsa. Na oportunidade, a advogada também esclareceu o funcionamento das cotas de gênero e falou a respeito da pequena representatividade feminina na política brasileira. Questionada a respeito dos principais desafios para as eleições deste ano, ela ressaltou: “Posso dizer que um dos maiores desafios para os candidatos é justamente atrair a atenção da sociedade para os seus projetos e para a sua campanha. Isso porque nós estamos vivendo um momento de muita descrença na política e acabamos esquecendo que para mudar a política é só com uma nova política”.  Confira aqui a entrevista na íntegra. 

A desembargadora Lenice Bodstein fala sobre o acesso à justiça

Quarta, 04 Julho 2018

 A desembargadora Lenice Bodstein fala sobre o acesso à justiça

Tema:

Acesso á justiça

Entrevistado:

Lenice Bodstein

A desembargadora Lenice Bodstein participou do Justiça para Todos desta quarta-feira (4) e trouxe aos ouvintes da rádio Educativa uma reflexão sobre o acesso à justiça no nosso paísA magistrada deu início a entrevista explicando o que está previsto na nossa Constituição Federal com relação ao tema. Além disso, ela explicou quem tem direito e como funciona na prática a justiça gratuita. A desembargadora também destacou o trabalho desenvolvido pela Defensoria Pública do Paraná no atendimento a população hipossuficienteDurante a conversa, a entrevistada comentou ainda sobre um estudo do Superior Tribunal de Justiça com relação as chamadas ações predatórias que, de acordo com a magistrada, consomem o orçamento da Justiça e não atingem números expressivos de cidadãos. “Existem muitas ações que incham todo o trabalho, não só do Tribunal, como também da OAB e dos defensores. Por exemplo, nós temos estatisticamente a telefonia onde as ações se repetem”, ressaltou. Confira aqui a entrevista na íntegra 


bemapbjudibamb403069308 jusprevlogo